FETO – Festival Estudantil de Teatro

 

Muitos estudantes já passaram pelo FETO – Festival Estudantil de Teatro. Estudantes que hoje são artistas, educadores, pesquisadores ou seguiram outros caminhos vêm passo a passo multiplicando a ideia do teatro como formador. O FETO é um festival firmado em trocas de experiências, conhecimentos e vivências artísticas entre universitários,e alunos de cursos técnicos e estudantes de ensino regular que fazem teatro.

Os espetáculos são essenciais para a construção do FETO, mas não apenas eles. A Associação No Ato Cultural desde a primeira edição via que o corre-corre dos grupos, a euforia da turma que acabou de descer do palco e saúda a plateia, os bate-papos nos corredores e as oficinas moviam o festival para um lugar ainda maior. Sendo assim, podemos dizer que o festival acontece o ano todo, através de ações formadoras e de nosso estreitamento de redes com grupos e pessoas de todo o Brasil.

As plateias cada vez mais vivas conseguem dialogar com o que é mostrado nos palcos. Os professores descobrem alternativas e modos diferentes de ensinar seus alunos; e a cadeia produtiva de técnicos, artistas e professores cresce a cada nova edição.

Festival de Artes Cênicas de João Monlevade

E se além de apresentações e oficinas, um festival também pudesse contribuir para o diálogo entre grupos locais, amadores ou profissionais e grupos nacionais reconhecidos?

E se ao invés de escolher entre teatro, dança e circo um festival proporcionar apresentações de artes cênicas em geral, com o pensamento de que os limites entre as artes são cada vez mais estreitos?

E se este Festival acontecesse em uma cidade próxima a um grande centro urbano, ansiosa por receber mais ações culturais?

A Associação No Ato Cultural e a monlevadense Cristiane Moreira idealizaram a partir de cada “se”, o Festival de Artes Cênicas de João Monlevade.

A primeira edição acontece em 2011 e contará com apresentações de grupos nacionais e grupos locais, encontros, oficinas e shows musicais.

Após o período de apresentações alguns grupos locais serão convidados a participar de um trabalho criativo, em que os grupos profissionais de diferentes partes do país voltarão a João Monlevade especialmente para acompanhar o processo.

Assim, o Festival reconhece os frutos artísticos da região e lança novas sementes, para que brotem e se desenvolvam, sem que se esqueçam de suas raízes. Trata-se de uma concreta contribuição para o aperfeiçoamento e desenvolvimento de grupos pelo estado de Minas Gerais e principalmente para o diálogo e a troca de experiências entre artistas do país.

Inscrições abertas: FETO – Festival Estudantil de Teatro

Estão abertas as inscrições para o FETO – Festival Estudantil de Teatro 2011. Do dia 08 de julho a 15 de agosto, os grupos nas categorias “Escola de Teatro” e “Teatro na Escola” deverão inscrever-se no site do FETO (www.fetobh.art.br).  Acesso o site do Festival, leia o regulamento e inscreva seu grupo! Participe!

Convocação contra o racismo e todos os tipos de violência

 

Ontem o artista Alexandre de Sena foi agredido por policiais em um posto de conveniência de Blumenau.

Alexandre é homem, ator, negro, dj, designer, gentil entre tantas outras coisas.

Ele está presente na cidade a convite do FITUB – Festival Internacional de Teatro Universitário de Blumenau, juntamente com a Associação No Ato Cultural, de Belo Horizonte. O Festival celebra o teatro e os bons encontros e faz isso com competência, inteligência, cores. Muitas cores. Somos artistas, somos agentes políticos, mobilizadores e formadores.

Dois policiais chegaram ao posto de conveniência, por volta de três e meia da madrugada, com a intenção de retirar as pessoas do local. Não havia baderna ou desordem. Barulho, talvez.

A maneira escolhida para dispersar o grupo foi agressiva. Uma pessoa não saiu. Estava aguardando amigos que saiam do posto de conveniência.

“Vaza, negão!”. Foi o que se ouviu. Ele não vazou e com a coragem e delicadeza dos valentes avisou que não sairia, aguardaria os amigos e que essas não são as formas certas de abordagem.

Seguiram-se socos, pontapés e coronhadas de escopeta em apenas uma pessoa.

Coronhadas de escopeta. Já viu uma escopeta? É uma arma que paralisa, mata e pelo visto, servem também para coronhadas em jovens na madrugada.

Enquanto alguns questionaram incisivamente os policiais, apenas um, justamente o que não que não questionou, apenas exerceu seu direito de ficar onde está, saiu com marcas pelo corpo. O que o diferenciava dos outros?

Junte isso a um “vaza negão” e o que se tem?

RACISMO.

Se antes o barulho era um talvez, agora o barulho é uma certeza.

Não se bate em negros, ruivos, latino-americanos, argentinos, bolivianos, chilenos, japoneses, mulheres, alemães, gays, crianças, cachorros, em ninguém.

Não se deixa marcas pelos corpos ou se dilacera almas.

O barulho é nosso. As cores são nossas.

Dezenas de pessoas viram. Pessoas de Blumenau, de Minas Gerais, da Argentina e de outros locais.

Quinta – feira, dia 14 de Julho, vamos do Teatro Carlos Gomes até o IML juntos.

Quando se agride uma pessoa, nos sentimos todos agredidos. Iremos todos juntos, fazer exame de corpo de delito. Nossas marcas, ao contrário das de Alexandre, não são aparentes. Mas estamos todos feridos.

14 de Julho, quinta-feira, 09:30 da manhã, do Teatro Carlos Gomes ao IML

 

Associação No Ato Cultural em Blumenau

A Associação No Ato Cultural e o Festival Internacional de Teatro Universitário de Blumenau – FITUB dão início a mais uma parceria. Neste ano, o 24º FITUB e a Associação realizarão a programação “Teatro na Escola” dentro da programação do festival.  A partir da experiência e gestão de projetos como o FETO – Festival Estudantil de Teatroaporta – Encontro Estudantil de Artes Cênicas, a No Ato Cultural realizará esta ação em conjunto com a programação do festival catarinense, do dia 08 a 16 de julho, oferecendo oficinas, espetáculos e uma fresta. Esta programação acontecerá também com o apoio da Pé no Palco Atividades Artísticas, escola de teatro curitibana, que oferece cursos livres de teatro, além de desenvolver projetos sociais de educação e formação de professores utilizando o teatro como ferramenta. Parte da equipe da No Ato Cultural viaja para Blumenau e acompanhará toda a programação do FITUB.

Esta parceria oferecerá duas oficinas: A oficina para educadores “Vira Virou – teatro para educadores” ministrada por Fátima Ortiz (Curitiba/PR) e a oficina para crianças “Crianças com o Pé no Palco”, ministrada por Maíra Lour e Pedro Bonacin (Curitiba – PR). Dois espetáculos: “O homem do Banco Branco e a Amoreira” da “Minha Nossa Cia Teatral”, espetáculo infantil montado por universitários de Curitiba/PR; e “O pote vazio”, apresentação teatral do grupo “Las Meninas”, composto por estudantes do ensino fundamental da rede pública de ensino de Belo Horizonte. Também estendendo a ação de teatro na escola no FITUB, será realizada dentro da programação uma fresta, roda de diálogos entre grupos, produtores culturais e representantes de festivais estudantis. A fresta dentro do festival representa a continuidade de uma ação de conversa e troca de experiências iniciada no primeiro aporta, que aconteceu em junho de 2010 em Patos de Minas/MG.

A programação completa do Festival pode ser vista aqui e a ação de Teatro na Escola no FITUB neste link. Acompanhe o Festival e contribua com esse diálogo entre o Teatro na Escola e o Teatro Universitário. Siga as redes sociais da Associação No Ato Cultural e acompanhe a programação do FITUB 2011: Facebook (Associação No Ato Cultural) e twitter (@noatocultural).

 

Circulação dos destaques

Depois de dez dias intensos de espetáculos, debates, oficinas e pontos de encontros históricos, chega-se a festa de encerramento do FETO 2010. O palco do Galpão Cine-horto que muito recebeu as atividades do festival, deu também espaço ao espetáculo de encerramento “5 cabeças à espera de um trem”, do grupo 5 cabeças, sob a liderança de Byron O´Neill, um dos idealizadores do FETO.

Após o divertido e intrigante espetáculo, os organizadores do festival apresentaram os destaques dessa décima edição, e por fim apresentaram um emocionante vídeo sobre os 12 anos do festival e suas dez edições. No vídeo foram mostrados pessoas e grupos que formaram essa rede que concretizou o festival e novos horizontes para o teatro estudantil brasileiro.  Os corações se apertaram, os olhos ficaram marejados e fim, a festa começou.

Os destaques foram escolhidos por uma banca de jurados que levantou características e notoriedades apresentadas no FETO 2010. Outra novidade na escolha dos destaques, é que circularão espetáculos por Minas Gerais e São Paulo, também escolhidos pela banca de jurados formada por Régis Santos, Pita Belli, Gláucia Vanderveld, Tula Barcellos , Renata Cabral na categoria “Teatro na Escola” ; e Gustavo Bones, Marcos Vogel, Denise Pedron, Fábio Furtado e Cristiano Araújo na categoria “Escola de Teatro”.

Veja aqui os grupos.

Em breve mais notícias.


aporta – Encontro Estudantil de Artes Cênicas

aporta de aportar, de estabelecer pouso, terreno e reconhecer o espaço a partir da experiência de caminho que outros percorreram. O aporta é um encontro de diálogos diversos entre grupos, estudantes, educadores, produtores e festivais estudantis de teatro do Brasil. Idealizado e realizado pela Associação No Ato Cultural, o encontro tem como proposta intercambiar ideias e experiências no campo pedagógico do teatro e estreitar o relacionamento entre essas produções, através de uma programação de diálogos e ações contínuas no decorrer do ano.

A primeira edição do encontro, realizada em 2010, rendeu bons frutos, mostrando que são muitos os desafios e também muitas as vozes que compõem o teatro estudantil brasileiro.  Assim, seguimos, junto a gestores, produtores e grupos de teatro, costurando essa imensa colcha de retalhos, agregando novas ideias e pessoas; e estabelecendo trocas efetivas e benéficas para a sustentabilidade do teatro estudantil.

DVD Documentário e Catálogo (Memória do Teatro Estudantil)

Após doze anos realizando o FETO – Festival Estudantil de Teatro, a Associação No Ato Cultural reuniu um precioso acervo de registros do teatro estudantil em todo país.

A riqueza desse material – composto de fotografias, textos, vídeos, cartas, registros profissionais e afetivos – levou a No Ato Cultural a idealizar o catálogo e o DVD documentário com as memórias do FETO e, conseqüentemente, de parte da memória do teatro estudantil brasileiro.

Além de imagens de acervo, haverá no Catálogo e no DVD  novos depoimentos e memórias individuais de pessoas ligadas ao Festival, ao teatro, à educação e pesquisa.

O acesso às memórias individuais é essencial para o planejamento e perspectivas de ações futuras, repercutindo assim na construção de memórias coletivas.

O projeto encontra-se em fase de produção.